Era Uma Vez um Hambúrguer
07/04/2016 - 16h36 em Saúde
Quinta-feira, 18 de Junho de 2015 às 11:34

Era Uma Vez um Hambúrguer

 Escolham uma vida mágica repleta de coisas boas e saudáveis.IsabelCostaAtual

Isabel Costa é nutricionista, palestrante e colaboradora da revista Zen Energy. Nesta entrevista, apresenta o seu mais recente livro, Era Uma Vez um Hambúrguer, um manual de coisas boas onde se presta algum orientação às mães que já não sabem o que dar de comer aos filhos. 

A Organização Mundial da Saúde indica que mais de 90% das crianças portugueses e não só, come fast-food , doces e bebe refrigerantes, pelo menos 4 vezes por semana. Menos de 1% das crianças bebe água todos os dias e só 2% consome fruta fresca diariamente.

ZEN: Quais são as consequências deste fato desastroso?
IC:
 As consequências são realmente desastrosas. Em 1º lugar é o aumento da obesidade em larga escala com tudo o que acarreta a médio e longo prazo: diabetes, problemas cardiovasculares, problemas ósseos, etc. Estamos a criar uma geração com patologias tão graves que, segundo muitos cientistas e médicos, terá dificuldade para sobreviver aos seus próprios pais. Muitas vezes, falamos da preocupação em criar um planeta melhor para o futuro, mas estamos a esquecer é a qualidade física e emocional dos jovens que estamos a educar para esse planeta…

ZEN: Qual é o objetivo principal do seu livro?
IC: 
O objectivo principal deste livro é fornecer ideias de receitas saudáveis, destinadas a criar momentos de magia entre as mães e os filhos que irão permanecer para o resto da vida nas mentes de ambos. Tal como as histórias originais dos contos de fadas que nos contam até aos 7 anos nos ajudam a encontrar a sabedoria natural da nossa alma, e, com ela, a força para lidar com as situações mais complexas da vida, neste livro de receitas e histórias estamos a criar associações positivas entre os alimentos e o resultado que eles têm no nosso corpo – e, por decorrência, no corpo dos nossos filhos.ClaraPintoCorreia

As histórias foram escritas por “Clara Pinto Correia”, numa linguagem moderna para as crianças e jovens com grande criatividade, como é característico dela.

Hábitos alimentares

ZEN: Relembra-nos no seu livro que, tal como indicam as várias estatísticas credíveis, 90% das nossas doenças tem uma origem comportamental. Quais são os hábitos que temos de nos livrar imperativamente?
IC: O consumo de açúcar, de gorduras hidrogenadas, fast-food , refrigerantes, tabaco, álcool, droga. Mas, isso não basta, precisamos de nos libertar de pensamentos e emoções que nos ‘envenenam’ diariamente.

ZEN: Há cada vez mais pessoas com cancro no mundo. Qual é a relação entre uma má alimentação e esta epidemia do séc. XXI?
IC: 
Muitos estudos têm indicado que uma dieta com um consumo elevado de carnes vermelhas e alimentos de origem animal e consumo reduzido de vegetais e frutas aumenta exponencialmente o risco de câncer ao passo que uma dieta vegetariana protege do mesmo. É claro que temos que considerar que o câncer não tem uma única causa, mas sem dúvida que a alimentação é o fator primordial, assim como o estilo de vida e comportamento.

Consumo de frutas e legumes

ZEN: Que dicas tem para o consumo de frutas e legumes?
IC: 
Para crianças mais pequenas, fazer mousse com as frutas é uma excelente opção, mas também para as mais crescidas, por exemplo, uma mousse de chocolate que as crianças tanto gostam pode ser perfeitamente substituída por uma mousse feita com banana ou abacate, pera ou pêssego (na época respectiva), à qual pode ser adicionado cacau cru, tâmaras e ficará um lanche ou uma sobremesa deliciosa e assim se vão mudando hábitos. Para os mais crescidos, colocar um pratinho com fruta já descascada e pronta a comer, ou até alguns palitos de cenoura, quando estão a estudar incentiva-os a comer, pois está ao lado, fácil de comer, poderíamos dizer ‘ fast-food saudável’. Por vezes, os jovens têm preguiça de descascar e cortar a fruta, mas se estiver pronta a comer, será mais fácil. Estabelecer um quadro de prêmios associados ao consumo de frutas e legumes também é um bom estímulo, tendo em atenção que a recompensa não pode nem deve ser nunca comida conforto (tipo chocolates, gelados, bolos), mas sim uma atividade ou algo que seja educativo e prazeroso para toda a família. Dar parabéns às crianças por terem comido todos os legumes e frutas. Relacionar esta vitória com os super-heróis que são fortes, porque também se alimentam desta forma é um incentivo para os mais novos. Quem não se lembra do Popeye e dos espinafres? No livro, podem encontrar muitas sugestões sobre isto.

Teor de vitaminas e enzimas

ZEN: Refere no livro que os germinados têm grande valor biológico pelo elevado teor de vitaminas e enzimas. Que benefícios trazem?
IC: 
Os germinados têm um alto valor biológico, pois as vitaminas, minerais e antioxidantes ficam potenciados até 20 vezes pelo processo de germinação e, por isso, fortalecem o nosso sistema imunitário, protegem-nos de doenças graves (no conjunto de uma alimentação equilibrada, claro), estimulam os processos digestivos e também têm poucas calorias.

ZEN: Todos sabemos que frutas e legumes são muito saudáveis. Mas, o que acha dos problemas de saúde, até do câncer, que os químicos e pesticidas usados na produção dos alimentos para os proteger contra pragas e doenças, podem desencadear nos humanos?
IC:
 Os pesticidas e químicos podem desencadear muitas doenças, como alergias, problemas respiratórios, danos no fígado, cérebro e sistema nervoso, câncer. Quanto mais expostos estivermos a estas substâncias, maior será o risco. Parece que 99% das maçãs analisadas pelo EWG ( Envirnomental Working Group) nos EUA no 5º ano consecutivo tinham químicos. E a lista negra não se resume só às maçãs, mas inclui também: morangos, uvas, onde num só bago foram encontrados 15 pesticidas diferentes, além do aipo e dos espinafres, expostos a componentes tóxicos. Comprar produtos biológicos pode proteger-nos deste problema com incidências gravíssimas para a nossa saúde? Com certeza que sim.

Incompatibilidades alimentares

ZEN: Pode falar-nos um pouco das incompatibilidades alimentares?
IC: 
As incompatibilidades alimentares são os conflitos bioquímicos resultantes da mistura de determinados alimentos na mesma refeição e que nos causam vários distúrbios digestivos, inchaços, sonolência, etc. Por exemplo, devemos evitar salada de frutas, porque contém frutas doces e ácidas, gerando uma fermentação alcoólica. Frutas e verduras também não combinam bem. E muito mais.

ZEN: Por que razão é tão importante comer frutas e legumes da época?
IC: 
Os alimentos característicos da estação do ano fornecem-nos mais vitalidade e saúde, uma vez que se encontram dentro do ciclo natural ditado pela sua programação genética – e, deste modo, também estão de acordo com as necessidades do ser humano na época e local em que se encontra. Acresce que, quando a planta amadurece no tempo certo, o seu sabor é mais intenso. As frutas, por exemplo, têm mais sabor, o aroma é fabuloso, e as suas polpas são mais sumarentas quando são consumidas na época adequada. Quando os alimentos são produzidos fora da estação, perdem as suas características naturais, e também parte do seu valor nutricional. Nestes períodos, têm necessariamente que ser tratadas com mais químicos, o que se tornam prejudiciais para a nossa saúde e para o meio ambiente. Por isso, em cada estação, há um forte conjunto de razões para aconselhar a procura dos alimentos da época. As receitas do livro estão estruturadas de acordo com as estações do ano e as frutas e legumes de cada época.

Intolerância ao glúten e à lactose

ZEN: Hoje em dia, há cada vez mais crianças e adultos intolerantes ao glúten e à lactose, o que torna a sua alimentação um desafio constante. o que se pode fazer?
IC:
 É importante fazer alguns exames, especialmente para ver se há alguma possibilidade de ter a doença celíaca e isso só se consegue confirmar com análises específicas ao sangue e até uma biopsia intestinal. Não existindo essa gravidade, pode-se fazer algumas alterações na alimentação, eliminando o glúten e lactose durante um tempo e depois voltar a consumir para perceber a reação perante esses alimentos. O corpo fala! É preciso ouvir. A maioria das pessoas está tão habituada a ter sintomas de inchaços, distensão abdominal, flatulência, meteorismo que acham normal! Mas, não é normal, comer e ficar inchado é sinal de que ingerimos algo incompatível ou que não é benéfico para o nosso corpo. É fundamental escrever um diário o mais pormenorizado possível com todos os alimentos que se ingere e os sintomas nas horas seguintes após essa ingestão. Esta é uma excelente ferramenta de autoconhecimento não apenas do corpo, mas também das emoções, pois, em geral, a ingestão de comida-conforto está associada a emoções que queremos preencher ou ‘calar’.

Substituição/alternativas alimentares

ZEN: Que alternativas saudáveis há para substituir o açúcar?
IC: 
As alternativas mais saudáveis ao açúcar são a fruta fresca, os frutos secos (tâmaras, alperces, sultanas, figos) que podem ser hidratados e transformados em puré, açúcar de coco, geleia de arroz.

ZEN: Que alternativas existem para os queijos lácteos?
IC: 
Eu ensino no livro e nos workshops excelentes opções com amêndoa, cajus, pinhões, macadâmias e tremoço. Com estes ingredientes podemos obter preparados tipo ‘queijo parmesão’ cremosos ou mesmo ‘queijo’ de cortar à faca. São muito nutritivos e saudáveis. Adiciona-se acidófilos e temperos a gosto. Podem ser desidratados ou não.

Conselho para uma alimentação saudável

ZEN: Que conselho dá às mães e geralmente aos pais que têm a consciência de que precisam melhorar a sua alimentação e das suas crianças mas, não sabem por onde começar?
IC: 
Em primeiro lugar, creio que é necessário parar, refletir e, até, escreverem o que costumam comer. Verifiquem a quantidade de fruta, vegetais e legumes que comem diariamente. Leiam os rótulos dos alimentos que compram embalados! Evitem comer tudo o que não se deteriora naturalmente, é sinal que tem demasiados químicos. Informem-se. Hoje em dia, existem muitos workshops e aulas de alimentação saudável. Façam as vossas experiências nessa área. Permitam-se sair das crenças, da publicidade, da zona de conforto e dar um novo passo para uma vida mais saudável. O vosso corpo agradece, os vossos filhos também. Escolham uma vida mágica repleta de coisas boas e saudáveis. Está tudo ao nosso alcance!

 Fonte: http://alquimiaalimentar.com/index.php?option=com_content&task=view&id=347

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!