AS DOZE FORÇAS E A DÉCIMA TERCEIRA
29/06/2016 - 10h36 em Espiritulidade

AS DOZE FORÇAS E A DÉCIMA TERCEIRA

 

 

 

 Cada indivíduo tem em si a predominância de uma das doze forças zodiacais, elas são como doze chaves para a vida. Conhecendo as profundezas de seu ser, o indivíduo pode tornar-se o mestre de suas forças e dar constantemente nova motivação à sua vida, desenvolvendo além das qualidades inatas as outras qualidades.

 

 

Dessa forma, torna-se capaz de criar uma décima terceira força sublimada, transformada, purificada, remetendo à imagem do Cristo e seus doze discípulos. No Cristo vivia a força do ‘Logos’, da sabedoria universal, mas cada discípulo só podia refletir uma parte do que vivia no Ser Crístico. Sua substância divina, porém, distribuía amor divino entre todos, unificando-os; para ele, o amor entre os discípulos era o mais importante. 

 

 

Numa comunidade, a união também só é possível por meio do amor, do respeito e da compreensão mútua, bem como do trabalho por um ideal superior, por uma meta comum unindo a todos. Nós temos a possibilidade de dirigir para o bem todas as forças das quais dispomos, ou então desviá-las para o mal.

 

 

Segundo Rudolf Steiner, “O mal é algo que na essência é bem, mas que está atuando em lugar errado; o mal é o bem em lugar errado.”  Muitas vezes temos de refrear certas aptidões para desenvolver novas faculdades. Podemos então, desenvolver algo que Rudolf Steiner denominou de ‘técnica moral´, no sentido de cada indivíduo conseguir realizar suas ideias em favor de um todo.

 

 

É a força do nosso eu que consegue realizar essa constante transformação sendo ajudado pela Força Crística.

 

 

Fonte: As Forças Zodiacais – Gudrun Burkhard
Enviada por: 
Biblioteca Virtual da Antroposofia - bibliotecadaantroposofia@antroposofy.com.br

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!